×

Análise do Superclássico: equilíbrio, grande jogo, táticas e destaques positivos e negativos

Clássico sensacional, emocionante, muito gostoso de se acompanhar. Abaixo, faço sobre ele algumas considerações, em forma de tópicos, sem a pretensão de esgotar todos os temas da ótima partida. Ao longo da semana novas análises serão agregadas as deste post, e, desde já, digo que gostaria de ouvir a opinião de vocês sobre o jogão de domingo.

Equilíbrio, expulsões, e boas atuações

- A partida foi equilibrada. Ambos os times tiveram “blocos” de domínio, ou seja, tanto Galo quanto Raposa estiveram melhores em determinados períodos, houve oscilação nesse aspecto.

- Antes da expulsão de Donizete e Tinga, o Cruzeiro passava por um período de domínio seu, parecia com boas perspectivas no clássico. Após os dois vermelhos, parece que as expulsões (justas) atrapalharam mais a Raposa.

- Apesar da derrota cruzeirense, vi coisas interessantes na equipe celeste e, sinceramente, em geral, gostei da atuação do time (assim como gostei da performance do Galo). Nesse sentido, levando-se em conta volume de jogo, chances criadas, o empate não teria sido injusto.

Destaques positivos e negativos do Galo e do Cruzeiro

- Éverton, Fábio e Montillo, principalmente os dois primeiros, me agradaram muito na Raposa. Como o lateral esquerdo celeste cresceu. Tem um estilo de jogo que aprecio bastante: aquela capacidade de ser vertical, agudo, de conduzir, aproveitar os espaços por meio de ações individuais. Soma-se a essas qualidades a personalidade que mostra: não “afina” nos momentos decisivos, sabe manter a calma para fazer o que deve ser feito. Por outro lado, Anselmo Ramon, na minha visão, foi muito mal. Não ganhou quase nenhuma, aproveitamento baixíssimo. Marcelo Oliveira também não me convence. Não digo que seja um mal jogador, pode compor elenco de alguns bons clubes, mas não me parece à altura do Cruzeiro.

- No Galo, gostei bastante do Pierre – mas não seria meu voto para melhor em campo. Assustou com o cartão no início (para mim, deveria ter sido expulso, assim como o Charles, mais no final da partida), mas depois, conseguiu unir a calma de sequer correr riscos de levar um segundo amarelo, com a manutenção da pegada e da firmeza na marcação. A zaga alvinegra, como de costume, foi bem. Impressionante o desempenho da dupla Réver e Leonardo Silva na bola aérea. R49, mesmo sem o brilhantismo de várias rodadas, e apesar do pênalti perdido (penalidade bem marcada, na minha visão), em algumas jogadas, com toda sua qualidade, mostrou sua importância, sua qualidade nos passes.

- No lado direito da defesa, o Galo continua dando bastante espaço. Muitas jogadas do Cruzeiro aconteceram por ali. Guilherme não foi exatamente bem, mas não fez nada tão ruim para merecer críticas duras; esteve razoável.

Bola aérea: vacilo do Cruzeiro e mérito do Galo

- Já que falei da bola aérea: é claro que o Galo tem seus méritos; porém, se elogiei a atuação cruzeirense, ressalto que achei um erro crasso a liberdade que deram ao Réver no gol da vitória do Galo. Todos sabem da força dessa jogada. É o tipo de coisa que o treinador tem de orientar com muita ênfase: “gente, nos escanteios, fique sempre um no Leo Silva e outro no Réver, é preciso que um defensor fique grudado em cada um deles o tempo todo”. É claro que, pela qualidade desses homens do Galo, não seria garantia de sucesso. Mas no gol do Réver não vimos uma marcação tão firme do Cruzeiro.

Esquemas táticos e substituições equivocadas de Roth

- Tática: Galo no 4-2-3-1 usual. Cruzeiro começando em um 4-3-1-2 com losango no meio, e oscilando esse esquema, ainda no início, com um 4-4-2 no qual Tinga jogava adiantado ao lado de Montillo. Durante boa parte do jogo, Tinga não foi volante. Depois, passou ao 4-2-3-1 (por pouco tempo, não jogou assim por um longo período, diga-se), atuando de modo espelhado ao Galo (Martinuccio na esquerda, Montillo pela direta e Tinga centralizado na linha de meias). Com essa mudança tática feita ainda no primeiro tempo, a equipe melhorou; mérito de Celso Roth. Como essa mudança aconteceu mais na parte final da primeira etapa e, na segunda, razoavelmente no início, houve as 2 expulsões, o Cruzeiro não ficou muito tempo no 4-2-3-1.

Na segunda etapa, o treinador gaúcho errou ao não tirar o “inofensivo” Anselmo Ramon, e ao substituir Montillo e Martinuccio. Sinceramente, não deu para entender essas mudanças de Roth e a manutenção de Anselmo em campo.

Novidades nos comentários

Pessoal, está feita a mudança nos comentários, de acordo com o pedido feito pela esmagadora maioria de leitores. A partir de agora, qualquer mensagem entrará para moderação antes de ser publicada. Peço paciência, aos que mandarem mensagens não ofensivas, no seguinte sentido: se o comentário chegar enquanto eu não estiver online no sistema, só posso aprová-lo na primeira vez que entrar no mesmo, ou seja, a mensagem com certeza entrará e tentarei respondê-la com prazer, mas pode apenas coincidir de ela não entrar imediatamente. Combinado?

Estou combinando de um amigo me ajudar a moderar enquanto eu estiver fora do sistema do blog, mas enquanto isso não é resolvido, pode haver esse “atraso” na publicação do comentário, repito, somente pelo fato de que eu ainda não o terei visto.

Outra coisa: ninguém será bloqueado pelo nome, nenhum usuário está banido. Se a mesma pessoa mandar uma mensagem sem ofensas a outros torcedores, e outra xingando outro participante, a primeira entra, a segunda não.

Brincadeiras (bobas ou não, mas sem ofensas aos outros leitores) serão permitidas. Palavrões, ameaças e coisas na linha, não.

Abraço a todos!!

Prêmios da semana

Livro sobre a conquista de 1971 pelo Galo, camisas do Galo e do Cruzeiro. Três prêmios!

No próximo post, falo com mais detalhes do livro que será sorteado; trata-se de obra das mais interessantes sobre o Galo, que será lançada na Leitura do BH Shopping, nessa quinta-feira. Todos os leitores estão convidados para o evento, inclusive. É gratutito.

Para participar, o esquema é o mesmo: basta pedir o prêmio desejado nos comentários desse post e/ou dos outros que vou escrever durante a semana. O vencedor será divulgado no próximo domingo, aqui no blog. Peço para colocarem nome e sobrenome no comentário, bem como endereço de e-mail correto e cidade. Será necessário também apresentar documento de identidade na hora de buscar o prêmio (pedido da rádio, já que alguns tentaram se passar por ganhadores em outras oportunidades). Se a pessoa não puder pegar a camisa, basta passar cópia do documento para quem for recebê-la. E novamente, repito: CIDADE, NOME E E-MAIL CORRETOS SÃO INDISPENSÁVEIS!  Boa sorte a todos!


Compartilhe:
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Orkut
  • PDF
  • RSS
  • email
públicado em by Cadu Doné em Esportes

About Cadu Doné

Cadu Doné é escritor, filósofo e jornalista. Acaba de publicar "Um filósofo no ninho", seu primeiro romance, que você pode comprar nos links abaixo. Tem uma obra de filosofia e outro romance com lançamentos previstos para breve. No jornalismo, foi colunista de política, cultura e esportes da rádio 98, entre outros trabalhos, em órgãos da imprensa e assessorias. Atualmente, é comentarista da Itatiaia, participa do programa Bastidores diariamente, de jornadas esportivas, e de outras atrações. Também é colunista do "Hoje em dia", onde escreve às terças e quintas. Compre o livro "Um filósofo no ninho", com desconto, no site da Leitura, de BH: http://www.leitura.com/descricao.php?id=1692981 Compre o livro "Um filósofo no ninho", com desconto, no site da Travessa do Rio: http://www.travessa.com.br/Busca.aspx?d=1&cta=1&tq=Um%20fil%c3%b3sofo%20no%20ninho

163 Respostas para Análise do Superclássico: equilíbrio, grande jogo, táticas e destaques positivos e negativos

  1. Paulinho

    cara, vc é estilo ESPN, vc é muito bom para a rádio, que tem seu valor, é boa, mas é outro perfil. seus comentários são inteligentes. abs parabens

    • Cadu Doné

      Valeu, querido. ESPN para mim tem a melhor equipe do Brasil, fico feliz com o elogio. Abs!!

  2. Sérgio

    Concordo com o Paulinho.
    Mesmo apesar de jovem, tem um vasto conhecimento! Uma grata revelação para imprensa mineira. Um modelo para ser seguido !!!

  3. DAVILMAR LOPES

    Boa noite Cadu!

    Ontem recebi com indignação a confirmação da contratação do Marcelo Oliveira como técnico do Cruzeiro, minha reação como de toda torcida se justifica através de uma simples pergunta, qual seria a reação da torcida se cogitassem a contratação de Tostão ou Sorin com técnico do Atlético?

    Não estou entendendo onde quer chegar a diretoria do Cruzeiro em confrontar a torcida, concordo que em alguns momentos esta age com coração e a vezes sem devida razão, entretanto, contratar um técnico com raízes tão fortes com o rival chega a ser patético. Acrescento que esta atitude que titularizo com irresponsável tem grandes possibilidade de trazer um enorme prejuízo financeiro e pretencional para o time, haja vista, o trabalho para 2013 em se tratando de pré-tenmporada e contratações dependerão do aval do Marcelo Oliveira, pois bem, imaginemos que o Cruzeiro venha a perder o 1° jogo do ano que será o clássico, o que é totatlmente plausível e possível, qual será a reação da torcida?

    Doné, queria paravenizá-lo novamente por ser um dos poucos jornalistas da mídia esportiva a vislumbrar e questionar mais esta cabeçada da diretoria cruzeirense.

    Diretoria cruzeirense, não se esquecam de que, quem move essa nação é a torcida!

    Forte abraço a todos!

    • Cadu Doné

      Obrigado, querido, valeu demais!!!

      Acho q muitas vezes é preciso ouvir a torcida sim. É o maior patrimônio de qualquer clube grande, como o Galo e o Cruzeiro.

      Grande abraço!!!

      • Reinaldo

        Sorin seria técnico do infantil!!!!!!

  4. Max

    Você sempre defendeu o Roth. E sempre apontou erros crassos dele. Todos os erros que você apontou são realidade de um treinador medroso e incompetente. Deveria ter tirado o Ramon quando estava 2 a 1 e colocado o Elber para correr nas costas dos laterais do Atlético. Fez tudo errado para coroar um ano de mediocridade medo de ganhar. Ainda bem que ele foi embora.

    • Cadu Doné

      N tem essa de defender ou “não defender”, temos de fugir desses rótulos. Até certo período, fez bom trabalho. Depois caiu. Na maior parte do tempo, dizia o seguinte: não é o principal culpado, mas tem erros. Simples. Concordo com vc com relação a domingo, e disse isso na coluna. Boa análise!!!

      Grande abs!!!

  5. Hudson Soares

    Não amoleça demais com o Sergio não, ele tá demais… já passou dos limites.

  6. Hudson Soares

    Você viu aquele gráfico que o nosso colega postou, eu fiquei muito animado com a evolução principalmente do Atlético, é claro que a dívida cresceu muito, em 2005/06, o Ricardo Guimarães colocou muitos milhões no Galo, que já foi equacionado em 15% das receitas em venda de jogadores, ou seja, praticamente é dono dessa parcela de toda venda do Galo até que o Galo pague a dívida, o que eu discordo muito, pois deveria pagar mensalmente, no mínimo os juros. Por isso o Galo deve muito ao BMG/Ricardo Guimarães.

  7. Cristiano

    Sobre o clássico tenho só uma coisa para falar de todas já ditas aqui e por vocês na radio.

    Futebol tem de ser com 10! A favor de uma petição para FIFA, hein? heheheh

    Brincadeira!

    • Cadu Doné

      Hehehe, acho q seria uma boa mesmo.. Futebol hj em dia tá muito truncado, acho q um espeço a mais ia fazer bem, rsrs, abs!!!

  8. Cristiano Alves / Belo Horizonte

    Como o jogo ficou bom depois de 10 de cada lado…

    Vamos fazer uma petição para a FIFA?

    Brincadeira!

    Abraço!

    • Cadu Doné

      Hehehe, acho q seria uma boa mesmo.. Futebol hj em dia tá muito truncado, acho q um espeço a mais ia fazer bem, rsrs, abs!!!!!

  9. Reinaldo

    Kalil disse; Se não fosse Ricardo Guimarães no Atletico teriamos fechado as portas!!! Quem viveu esse momento sabe disso. Vamos ser realista.

Adicionar um comentário