×

Avaliação da chegada de R10: marketing, ambição de Kalil, longa má fase, fácil deslumbramento mineiro, as estranhas finanças do mundo do futebol, e mais

Mais do que fazer duras críticas à contratação de R10, ou elogiá-la efusivamente, entrando num êxtase até estranho, pouco profissional, compartilhado por parte da imprensa, é importante ponderar os vários aspectos que rondam a chegada de um jogador, em vários sentidos, digamos, tão peculiar. Já saliento, porém, desde já que, se fosse obrigado a decidir, não contrataria Ronaldinho. Vamos a alguns pontos:

Repercussão pode ser interessante

- Sim, a repercussão da novidade pode ser interessante para o Galo em diversos aspectos. A marca Atlético deve ficar mais conhecida no exterior. Mensurar o valor que isso terá, se algo realmente duradouro daí surgirá, não é possível nesse momento, já que esse ponto dependeria de muitas questões, por exemplo, do rendimento do atleta e do clube, durante essa parceria. Sendo racional, é bom destacar que, se, de fato, algum ganho existe em contratações desse porte, em termos de mídia, não me lembro de um episódio no qual algum clube brasileiro ficou realmente famoso no exterior, e ganhou dinheiro com esse holofote – ênfase nessa parte -, advindo de nações estrangeiras, devido à chegada de um atleta – contratado de outro clube – apenas. Ou na Europa só se falou em Corinthians na época do “fenômeno”? O futebol brasileiro é mundialmente conhecido. Os clubes do nosso país, nem tanto. A verdade é essa. No mundo dos clubes, o futebol que é acompanhado realmente, pra valer, em muitos lugares, é só o Europeu. R10 já está em longo ocaso, e no Brasil há algum tempo. Fora do país, sua chegada à Minas não será tão repercutida como alguns imaginam e andam espalhando por aí.

- A imagem de R10 não está entre as mais bem avaliadas utlimamente. Ele não vinha sendo requisitado em tempos recentes. Revistas de esporte nacionais (como a da ESPN) estampam na capa, de modo taxativo, o fracasso da passagem no Fla. Por essas e outras, a repercussão e a mídia, em alguns sentidos, também podem ter traços negativos. Já vi reações no Rio e em SP do tipo: “qual clube foi o doido de aceitar esse cara?”. Não digo que concordo – nem que discordo – da avaliação. A apreciação aqui, fria, é estritamente da imagem que se tem dele no momento. 

Marketing local, apelo da marca R10 e deslumbramento mineiro

- O êxito no marketing mais local, ligado a projetos estaduais ou nacionais, depende também de muitas questões – e mesmo do trabalho do clube nessa seara. Ronaldo, no Corinthians, trouxe muito dinheiro. R10, no Fla, não. Portanto, é fundamental saber como o Galo irá se mexer na busca de patrocínios, parcerias diversas.

- Um dado interessante, que Gian Oddi, da ESPN, divulgou há alguns dias. A Nike tem contrato com Ronaldo, Ronaldinho e Neymar. Nos últimos dois anos, utilizou o primeiro em 6 campanhas, o último em 10, e o reforço do Galo em apenas 1. Será que o apelo midiático do dentuço seria tão grande assim – já que ele pouco tem sido acionado por uma empresa que já o tem como contratado, pode dispor da sua imagem, e não tem nada de boba quando o assunto é publicidade? Esse era o raciocínio de Gian. Não tenho respostas para isso, nunca fiz estudos sobre o tema, mas acho que vale a reflexão. É claro que o fato de Minas Gerais ser, de alguma forma, mais facilmente deslumbrada com certas coisas do que Rio e São Paulo, pode fazer o apelo dele aqui ser maior – reparem que me referi ao estado, não à torcida atleticana; o mesmo raciocínio valeria se ele tivesse vindo para o Cruzeiro.

Financeiramente, o futebol vive em outro planeta

- Não dá para, racionalmente, pensando no futebol como negócio, nos clubes como empresas, deixar de sentir alguma estranheza ao ver que, nossos times, com balanços tão desfavoráveis, com dívidas tão estratosféricas, continuam gastando rios de dinheiro com investimentos que não se mostram necessariamente, logo de cara, justificáveis. Esse pensamento – antes que a patrulha de fanáticos cegos, existentes entre os aficionados de todos os times apareça… – se aplica a diversos episódios, a todos os nossos grandes clubes, diga-se de passagem. A cada dia fica nítido que, financeiramente, o futebol vive em outro mundo. Coisas que acontecem com os clubes, em última análise, empresas do futebol, não aconteceriam com empresas de quase todos os outros ramos. 

Virtude de Kalil e ponto para a forma da apresentação

- Gostei da forma como a negociação foi conduzida, e o anúncio feito. Sem alardes, sem expectativa, firula, com o cara aparecendo já treinando. Esse ponto foi positivo.

- Virtude de Kalil: pensar grande para o Galo. Esse é um ponto bem interessante da personalidade e do trabalho dele. Se, movido por essa ambição, toma decisões certas ou erradas na busca de concretizá-la, saciá-la, o papo é outro. Para mim, já acertou e errou muitas vezes.

Aspecto técnico, segunda chance e longa má fase

- Aspecto técnico – e principal: uma coisa é trazer um atleta que já mostrou talento e está numa má fase. Outra completamente diferente é contratar um jogador que se tornou no máximo mediano desde a Copa do Mundo de 2006, e que em quase todo este período – de 2006 até hoje – esteve verdadeiramente mal. A fase ruim dura muito tempo, o dinheiro é muito alto, e por isso não faria o investimento. Hoje, no Bastidores, recebi a mensagem de um torcedor dizendo que foi bom para o Galo trazer R10, porque “todos merecem uma segunda chance”. Ronaldinho já teve bem mais do que duas chances.

- Ele pode se recuperar? É claro que sim. Porém, simplesmente não é racional, não é seguro apostar num cara que não “entrega” há tanto tempo, de modo tão claro, acentuado, reinterado, e em diferentes circunstâncias.

- E você, o que achou da contratação de Ronaldinho?

Compartilhe:
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Orkut
  • PDF
  • RSS
  • email
públicado em by Cadu Doné em Esportes

About Cadu Doné

Cadu Doné é escritor, filósofo e jornalista. Acaba de publicar "Um filósofo no ninho", seu primeiro romance, que você pode comprar nos links abaixo. Tem uma obra de filosofia e outro romance com lançamentos previstos para breve. No jornalismo, foi colunista de política, cultura e esportes da rádio 98, entre outros trabalhos, em órgãos da imprensa e assessorias. Atualmente, é comentarista da Itatiaia, participa do programa Bastidores diariamente, de jornadas esportivas, e de outras atrações. Também é colunista do "Hoje em dia", onde escreve às terças e quintas. Compre o livro "Um filósofo no ninho", com desconto, no site da Leitura, de BH: http://www.leitura.com/descricao.php?id=1692981 Compre o livro "Um filósofo no ninho", com desconto, no site da Travessa do Rio: http://www.travessa.com.br/Busca.aspx?d=1&cta=1&tq=Um%20fil%c3%b3sofo%20no%20ninho

169 Respostas para Avaliação da chegada de R10: marketing, ambição de Kalil, longa má fase, fácil deslumbramento mineiro, as estranhas finanças do mundo do futebol, e mais

  1. mateus augusto

    e só complementando meu caro sobre o RONALDINHO nao vou nem comenta mto nao pq nao merece essa repercuçao q a imprensa pró ATLETICO ta dano e deu e um dos poucos q usou a razao no comentario foi vc CADU e por isso hj sou seu fan e vc simplismente deu a sua opiniao imparcial e disse simplismente q é esperar pra ver e causa estranhesa em alguns ouvintes doentes e alguns da imprensa pró ATLETICO PARCIAIS, nos torcedores d san conciencia tanto d ATLETICO E CRUZEIRO sabem q nao veio aquele ronaldinho d anos atras q jogou pelo PSG e nem aquele q jogou pelo BARÇA e sim q esta chegando ai o RONALDINHO q agente sabe q tem futebol ,mas q a tempo só se envolve em polemicas e nao rende tanto o esperado isso estamos cansado d saber por isso CADU eu ja postei em blogs passados q vc nao faz parte do bando d crjas q tanto na itatiaia e em outros veiculos existem maus profissionais como em toda profissao e na itatiaia vc é um dos poucos imparcial falo isso com mta propriedade pq nao sou só eu q penso assim e mtos ja disserao isso e dizem até hj!!
    abraços CADU e continue assim jovem promissor.

    • Cadu Doné

      Muito obrigado, Mateus, pelas palavras.. E que bom q entendeu q disse q temos de esperar para ver, que em nenhum momento disse q não dará certo com certeza..

      Grande abs!!

  2. j. oliveira

    vamos pensar no futuro.
    cada vez que penso no casao R49 me vem mais aspectos hoje me veio mais um,a saida do ronaldinho.
    Não sei como ele se portara em campo(espero que faça a diferença) mais tenho quase certeza que vai sair do Galo odiado.
    1ª opção: Não joga nada.
    2ª opção: joga muito e no final do ano sai e vai jogar num time de são paulo.
    Torço pra que seja a segunda opção se ajudar a ganhar o Basileiro pode ir ate para o Cruzeiro.

  3. j. oliveira

    Olha o Marqueting enquanto falamos em Ronaldinho Gaucho Jô trabalha sem preção.

  4. Jose César Fialgo

    Como diria Lélio Gustavo:se esse RG não jogar bola aqui,que ele vá pro “colo do capeta”,agora uma coisa não se pode negar,bola ele tem,tem que se saber se ele quer jogar futebol,inegavelmente ele é um dos maiores talentos Brasileiro nos últimos 10 anos.

  5. eduardo

    hugo Guilherme, vc bateu com a cabeça irmão? tem um negócio chamado eletroconvulsoterapia q pode lhe ajudar! vc deve está com aquilo que é vulgarmente conhecido na literatura médica como “mente acelerada” ( os pensamentos ficam acelerados e desconexos ), rivotril, Seroquel, Carbolitium tbém são bons …

  6. helio

    cadu: sou atleticano,ouvi seu comentário sobre o ronaldinho e cocordei acho que vc está errando em comentar doença de torcedor vc não e medico,bay.